Túnel do Tempo: Auto-Análise

Páginas

Seguidores

COMPARTILHE NOSSO SOM

PUBLICIDADES

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Auto-Análise



Por uma razão inexplicada chego a imaginar quanto sou infeliz, mal sucedido, mal interpretado, um zero à esquerda, simplesmente um traste! Mais meu complexo de superioridade devora tudo isso e me mostra o quão estou errado.
Em minha vã filosofia sem influencias de seitas, religiões e sociedades cientificas, dentro do meu semi-ateismo, reflito e chego a uma conclusão que cheguei neste planeta trazendo uma insígnia gigante em forma  de V, daí começo a fazer uma retrospectiva de minhas origens e chego a conclusão da imensidão de minha vitória, dentro desta analise realizo comparações com outras pessoas iluminadas que em sua aura traz também este V e nunca conscientizou-se disso. Uso como referencia uma pessoa bem próxima que sempre lamenta, sentindo também que não foi beneficiada por sua passagem por aqui. Isto porque nunca parou para  analisar seu desempenho e retorno de suas ações, baseado nos dados históricos deste ser comecei a fazer comparações de seus resultados diretos e indiretos e verifiquei que a mesma nunca sofreu uma derrota até então, sendo uma vitoriosa inconsciente e sofrendo por derrotas que nunca teve, daí transferi a situação pra mim e só assim verifiquei o meu importante papel que inconsciente desempenhei.
Oriundo de uma clã sem fortunas, chegando a enfrentar necessidades básicas de alimentação, lazer, com uma infância e adolescência tumultuada, sem se prostituir politicamente, moralmente e religiosamente, enfrentando situações aberrantes no dia a dia, consegue constituir família, ter filhos que vivem dignamente, representar uma categoria sem tentar promoção individual, ser anulado pela categoria medíocre que representou, construir amizades infinitas e ser autêntico, saber sair de relacionamentos sem sentimento de culpa, que nunca utilizou a palavra talvez e depois e que não aprendeu o fingimento por opção.
Hoje chego a conclusão que sou um vitorioso, com ou sem dinheiro sou superior, alguns males físicos tenho e acho natural, serei arrastado pela morte como qualquer um, tenho temores só em pensar na minha transformação de estado, mas com a certeza que não serei imortal fisicamente, no entanto estarei presente em comparativos de ações, também nos frutos que deixarei que se multiplicarão em séculos sem fim, assim como eu que sou frutos de inúmeros milênios. Eu sou o V da vitória. O S da superioridade e sem me dar conta o F da felicidade!
Simplesmente sou o máximo e somente os derrotados e infelizes não chegam a perceber a minha aura iluminada, porque cegaram na busca desesperada de um destaque social querendo brilhar externamente, pagando qualquer preço por isso mesmo sabendo que em seu interior é um infinito buraco negro.
Sou feliz porque meu brilho me ilumina e só me resta ter um sentimento desprezível chamado  comiseração, afinal também sou humano, dos infelizes que não sentiram o fogo do meu brilho!

FREUD QUE SE DANE!

Um comentário:

  1. Bravo, meu amigo! Compartilho seu desabafo e assino embaixo. Acrescento que a música traz luz aos nossos corações e embalam nossos momentos, nos dando força nas horas difíceis, nos erguendo ... e nas horas boas nos leva ao delírio, que ninguém e nada deste mundo nos rouba, nem à força, nem à chantagem, ou qualquer outro tipo de vilidade. Obrigado por compartilhar seu sentimento e, também me fazer refletir sobre o que somos nesta passagem, neste mundo. Grande abraço, amigo. RenatoMeSBC.

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua opinião ou recado. Agradecemos seu contato.